Brasil pode ter medicamento a base de Cannabis

Foto: Bedrocan

Foto: Divulgação

Pacientes com Epilepsia Refratária no Brasil já podem ter esperança de encontrar um medicamento alternativo para o distúrbio de forma mais acessível e sem ter que “infringir a lei”. Este semana, a Entourage Phytolab, empresa baseada em São Paulo, anunciou uma parceria com a canadense Canopy Growth Corp. para desenvolver a fórmula farmacêutica experimental de um extrato de Cannabis.

A companhia adiantou que serão realizados todos os testes clínicos de segurança e eficácia necessários para registrar um medicamento perante a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

A Entourage será responsável pelo desenvolvimento dos extratos padronizados que serão usados nos testes clínicos e pré-clínicos, previstos para começar no segundo semestre de 2016, para o tratamento de epilepsias refratárias. O extrato será produzido com tecnologia de extração por CO2 supercrítico e plantas com alto teor de Canabidiol (CBD)  e baixo Tetraidrocanabinol (THC).

A matéria-prima vegetal será fornecida pela Canopy Growth Corp., por meio de sua subsidiária integral Bedrocan Canada e sua sub-licenciada brasileira, a Bedrocan Brasil. A Bedrocan Canada é licenciada da Bedrocan International, companhia holandesa com 15 anos de experiência na produção de cannabis medicinal em grau farmacêutico, tendo a mais avançada tecnologia de cultivo e o melhor material genético para fins medicinais no mundo todo.

“Hoje, os brasileiros só têm acesso à cannabis medicinal via importação de extratos não-farmacêuticos sem qualquer controle de qualidade de concentração ou contaminantes. Nosso objetivo é realizar todos os testes clínicos e procedimentos exigidos para possibilitar que esses pacientes tenham acesso ao melhor medicamento registrado, com segurança e eficácia comprovadas, que possam ser adquiridos na farmácia mais próxima”, diz Caio Santos Abreu, diretor-executivo da Entourage Phytolab.

A Entourage tem autorização especial da Anvisa para o desenvolvimento de um medicamento à base de cannabis para epilepsia refratária e para importar a matéria-prima que será usada para produzir o medicamento experimental.

A empresa espera produzir e comercializar o remédio no Brasil em 2018.