Você sabe o quanto seu transporte emite de poluentes?

O Simulador permite o quanto se emite de poluentes para se locomover em uma cidade (Imagem: Divulgação/WWF-Brasil)

O Simulador permite o quanto se emite de poluentes para se locomover em uma cidade (Imagem: Divulgação/WWF-Brasil)

Seja de carro ou transporte público, você acaba por emitir poluentes quando utiliza uma dessas formas de locomoção na sua cidade. Mas você sabe o quanto sua movimentação emite de poluentes?

A Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP) e o WWF-Brasil lançaram o Simulador de Emissões em Mobilidade Urbana, uma ferramenta de sensibilização que visa demonstrar como as mudanças na forma de locomoção podem impactar nas cidades com mais de 60 mil habitantes. Ela possibilita que os brasileiros imaginem o que é o seu modelo ideal de mobilidade e como isso impactaria (positiva ou negativamente) no seu dia a dia.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) o transporte é um dos grandes responsáveis pela poluição de uma cidade, o que causa oito milhões de mortes por ano no mundo. Além disso, o espaço que uma cidade dedica a automóveis interfere diretamente na área disponível para calçadas, áreas verdes e faixas preferenciais para bicicletas ou ônibus.

“Com o simulador de emissões, o cidadão pode escolher qualquer cidade com mais de 60 mil habitantes, alterar a porcentagem de viagens em um determinado tipo de transporte e ver qual o resultado em questão de consumo de tempo, energia e espaço físico, além de emissão de poluentes locais e gases de efeito estufa. O nosso objetivo com essa ferramenta é que as pessoas se conscientizem como as mudanças no meio de transporte podem impactar  o seu dia a dia”, comenta André Nahur, coordenador do programa Mudanças Climáticas e Energia do WWF-Brasil.

Para exemplificar, em São Paulo (SP) a transferência de 20% das viagens de carro para ônibus resulta em diversos benefícios, como reduções na ocupação de espaço das vias (-15%), no consumo de energia (-13%), na emissão de poluentes locais (-10%) e na emissão de gás de efeito estufa (-8%). Tudo isso representaria um aumento no tempo de deslocamento de apenas 3%.

Por outro lado, se 20% das viagens que hoje são feitas de ônibus mudassem para carro isso implicaria em 11% a mais de ocupação de espaço das vias, 9% mais consumo de energia, 7% mais emissões de poluentes locais e 6% mais emissões de gás de efeito estufa.

O banco de dados inclui todas as cidades brasileiras com mais de 60 mil habitantes e utiliza processos estatísticos com base em parâmetros brasileiros consagrados para fazer o cálculo, de acordo com cada faixa de população.

Eduardo Vasconcellos, assessor da ANTP, explica que os dados não devem ser usados para definir ações ou projetos. “O objetivo do simulador é discutir com a sociedade os impactos que uma mudança na forma de transporte pode nas cidades, sensibilizando a sociedade”. Eduardo acrescenta que as cidades foram divididas em cinco grupos, de acordo com o número de habitantes: “ao individualizar por cidade é preciso ter um pouco mais de cuidado e isso está previsto nos próximos passos”.

Fazer a simulação é simples, funciona online e os resultados vêm acompanhados de um texto explicando a importância de cada parâmetro. Acesse o site do Simulador de Emissões em Mobilidade Urbana e faça seu teste.