Finlândia vai testar pagar ‘salário’ a TODOS os habitantes

A Finlândia deve começar a testar um sistema em que todos os habitantes do país vão receber uma “renda básica”, mesmo que não trabalhem a partir de 2017.

Proposta pelo governo recém-eleito, liderado pelo partido centrista, a política de conta com o apoio de 70% da população, de acordo com uma pesquisa conduzida em setembro. Ainda de acordo com a publicação, a maioria dos entrevistados acredita que um bom nível de renda básica seria de 1.000 euros por mês (R$ 4.468).

Já especialistas ouvidos pela RFI Brasil afirmam que a renda mínima ideal obedece uma equação complicada: ela deve ser suficiente para tirar pessoas da pobreza, mas também não pode ser tão alta a ponto que não haja mais necessidade de trabalhar.

O tema interessa particularmente aos desempregados: atualmente, cerca de 10% da força de trabalho finlandesa está inativa, algo em torno de 280 mil pessoas.

Em entrevista à BBC no mês de agosto, o premiê finlandês, Juha Sipila, afirmou que um programa de renda básica iria “simplificar” o sistema de segurança social no país, que envolve vários benefícios. De acordo com a RFI Brasil, entre os objetivos do projeto está reduzir os gastos com programas sociais.

Além disso, a renda básica poderia encorajar os finlandeses que estão sem empregos a procurarem vagas temporárias, que envolvem benefícios bem menores. De acordo com partidários do movimento, uma renda básica também tornaria possível que as pessoas trabalhassem em cargos que lhes interessam mais, independente da remuneração.

De acordo com Stanilas Jourdan, co-fundador do Movimento Francês para a Renda Básica há um grupo de trabalho composto pelo Instituto de Pesquisas Econômicas, por pesquisadores da Universidade de Tampere e por outros pesquisadores independentes que vai estabelecer os parâmetros do projeto piloto.

Caso saia, de fato, do papel, o experimento será o primeiro a ser colocado em prática em uma nação desenvolvida desde os anos 1970, de acordo com o Basic Income Earth Network.

De acordo com informações da BBC, o projeto piloto deve ser testado com 8.000, que vão receber valores que variam entre 400 e 700 euros (R$ 1.787 e R$ 3.128). A ideia pode, no entanto, esbarrar na Constituição Finlandesa, que prevê tratamento igualitário a todos os habitantes.

Fonte: Brasil Post