Livro critica suposta perfeição das relações sociais

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Refletir sobre o que se esconde por trás das aparências, essa é a proposta do novo romance da escritora Cláudia Marczak intitulado “O mundo Perfeito”. A obra tenta representar a autoimagem das classes sociais, um dos grandes dramas da sociedade.

O livro conta a história de Luísa, uma mulher linda, atraente, mãe de dois filhos, casada com um importante empresário rico, bonito e charmoso. Mesmo com empregados fazendo todas as coisas por ela e aquela vida que seria o mundo perfeito para muitos, para a personagem, nada disso a fazia se sentir completa nem feliz.

Porém, todo o conceito sobre perfeição entra em choque quando a Luísa toma determinadas decisões que mudam a sua vida, deixando-a cada vez mais confusa.

Segundo Marczak, o livro indaga sobre a suposta “perfeição” das relações sociais superficiais que existem hoje. Para ela, vivemos num mundo em que todos mostram ser perfeitos e felizes. Porém, essa fachada perfeita esconde sentimentos e sensações que as pessoas tentam ocultar. “O romance promove um olhar para essas imperfeições sombrias e ocultas do ser humano”.

A escritora diz que a fonte para inspiração do seu trabalho vem de obras de Clarice Lispector, Nelson Rodrigues e Fernando Pessoa. Por esse motivo, seu desejo é sempre inquietante. Para ela, seus livros não podem passar uma sensação de indiferença. “Quero mobilizar o leitor através de sensações e surpresas que vão surgindo no decorrer da história”.

– Cada momento da minha vida pede um texto diferente. Fernando Pessoa, por exemplo, resume bem essa sensação através dos heterônimos, cada qual com um olhar diferente do mundo. Um texto apenas me acorrentaria. A literatura tem o dever de libertar – relata.

O Mundo Perfeito
Autora: Cláudia Marczak
Editora: Penalux
Páginas: 204
Preço: R$ 40

Fonte: Divulgação